(0 Votes)

1 Pois eis que vem o dia e arde como fornalha; todos os soberbos e todos os que cometem perversidade serão como o restolho; o dia que vem os abrasará, diz o SENHOR dos Exércitos, de sorte que não lhes deixará nem raiz nem ramo.  2  Mas para vós outros que temeis o meu nome nascerá o sol da justiça, trazendo salvação nas suas asas; saireis e saltareis como bezerros soltos da estrebaria.” (Malaquias 4:1-2 RA)

 

 De novo, lhes falava Jesus, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará nas trevas; pelo contrário, terá a luz da vida.” (João 8:12 RA)

 

O bezerro é um dos símbolos bíblicos de força e vitalidade, porém se ele estiver preso, como poderá usar seu potencial? Cada um de nós temos, um potencial tremendo, dado pelo próprio Deus! Mas às vezes estamos presos por diversas situações que nos impedem de deslanchar em diversos aspectos de nossa vida.

1.        Como vão, sua força e vitalidade?

2.        O que pode prender uma pessoa mesmo já sendo convertida?

 

Àqueles que temem o nome do Senhor, o Sol da Justiça brilhará! Glória a Deus! Não andaremos no escuro. O próprio Sol da Justiça, Jesus Cristo, nos ensina isso (Jo 8:12). O contato com Jesus nos traz salvação, e liberdade. Assim Jesus nos permite sair e saltar como bezerros soltos! Dessa forma, nossa força e vigor produzirão efeito!

3.        Vamos comentar algumas áreas de nossa vida que são funcionais e alguma outra que ainda não é?

 

Adicionalmente, apresentamos a seguir alguns elementos que podem nos manter como bezerros presos: Palavras que feriram, medo, mágoa, frustração, conteúdo intelectual, rotinas, finanças e autodepreciação. Deus porém, deseja nos ver saltitantes, mas em liberdade, tanto espiritual como emocional. Então, agora é permitir que o que o Sol da Justiça que já iluminou e revelou, nos trate.

4.        Há alguma das situações vistas, que você quer entregar a Jesus hoje para restaurar sua alegria e liberdade? Vamos compartilhar?

 

Vamos fazer alguns momentos de oração a sós com Deus, abrindo nosso coração para o tratamento de Cristo, para vivermos a liberdade que nos tornará funcionais.

 

Elaborada por Pr. Paulo

Pregada em 20/11/16