(0 Votes)

  I Jo 3:1-3 “Vede que grande amor nos tem concedido o Pai: que fôssemos chamados filhos de Deus; e nós o somos. Por isso o mundo não nos conhece; porque não conheceu a ele. Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifesto o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como é, o veremos. E todo o que nele tem esta esperança, purifica-se a si mesmo, assim como ele é puro.”

 

A igreja de Jesus é chamada de noiva de Cristo e o dia em que nos encontrarmos com Ele será chamado de “o Dia das bodas do Cordeiro”. Jesus prometeu que voltaria sem demora, e por isso devemos nos preparar para este grande dia. Somos a noiva amada de Cristo, chamados de filhos de Deus por causa de seu infinito amor!

1.      Mesmo sendo pecadores e sem merecermos, somos chamados de filhos amados! O que isto significa pra você?

 

Jesus não vê defeito na igreja que se identifica com Ele. Há pecado? Há problemas? Há falhas? Há dificuldades? Sim! Mas somos corpo de Cristo e temos aperfeiçoamento no corpo, devemos andar em unidade. O que falta em um irmão pode ter de sobra no outro, e o que deve prevalecer sempre é o amor, que é o vínculo da perfeição.

2.      O que você faz para aceitar e amar o irmão que está próximo de você, que também tem defeitos e é pecador, mas também é noiva amada de Cristo?

 

O noivado é a preparação para o casamento, e no nosso caso, como noiva de Cristo devemos nos parecer com Ele e agradá-lo todos os dias. Fazer parte do cristianismo é viver Cristo, ter uma vida de intimidade e fidelidade a Ele. A nossa expectativa deve ser tamanha que deve nos levar a uma vida de obediência sem medir esforços.

3.      Você se sente em condições para se encontrar com o noivo hoje?

 

A partir do Dia das bodas seremos semelhantes a Ele, serão restaurados o relacionamento, a comunhão plena, a pureza e tudo mais que foi perdido no Éden por causa do pecado.

4.      Vamos orar e assumir todos os dias a nossa posição de noiva pura, à espera do Noivo.

 

Elaborada por Pr. Rian

Pregada em 01/05/16