Ainda não há comentários

A Medida do Amor

28 Chegando um dos escribas, tendo ouvido a discussão entre eles, vendo como Jesus lhes houvera respondido bem, perguntou-lhe: Qual é o principal de todos os mandamentos? 29 Respondeu Jesus: O principal é: Ouve, ó Israel, o Senhor, nosso Deus, é o único Senhor! 30 Amarás, pois, o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu entendimento e de toda a tua força. 31 O segundo é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Não há outro mandamento maior do que estes. 32 Disse-lhe o escriba: Muito bem, Mestre, e com verdade disseste que ele é o único, e não há outro senão ele, 33 e que amar a Deus de todo o coração e de todo o entendimento e de toda a força, e amar ao próximo como a si mesmo excede a todos os holocaustos e sacrifícios. 34 Vendo Jesus que ele havia respondido sabiamente, declarou-lhe: Não estás longe do reino de Deus. E já ninguém mais ousava interrogá-lo.
Marcos 12:28-34

Participando

No texto lido, Jesus está citando Dt 6:4,5. Porém a ordem de amar a Deus na totalidade de nosso ser é precedida pela expressão: “- Ouça povo de Deus. O Senhor nosso Deus é o único Senhor”. Então o principal mandamento é ouvirmos a Deus, tê-lO como único Senhor e aí amarmos a Deus, ao próximo e a nós mesmos, nas medidas certas!

1. Na prática, o que é amar a Deus de todo o nosso coração, de toda nossa alma, de todo nosso entendimento e de toda nossa força?

2. Como nasce a idolatria na vida de uma pessoa mesmo que ela seja evangélica?

3. Qual é a medida certa de amor que devemos dedicar ao nosso próximo? Cite algum exemplo para clarear sua resposta.

4. Como podemos amar a nós mesmos sem sermos orgulhosos ou egocêntricos?

Concluindo

Quando amamos a Deus na totalidade de nosso ser e ao próximo na mesma proporção que amamos a nós mesmos, temos cumprido a lei de Cristo. Pois o amor conforme visto, excede em valor a todos os holocaustos e sacrifícios! (33).

Vamos assumir um propósito de amarmos a Deus e ao próximo como a nós mesmos? Então, vamos orar por isso.

Elaborada por Pr. Paulo
Pregada em 07/10/18

Publicar um comentário